DIP 2019

A Coreia do Norte tem sido assunto mundial nos últimos meses, principalmente pelo fato do seu líder Kim Jong-un parecer estar mais flexível em alguns aspectos referentes ao país. Porém, no que se refere a liberdade de religião, a Coreia do Norte está longe de mostrar alguma abertura.

Em 2018, a nação completou 70 anos. No entanto, a igreja secreta do país está longe das celebrações. Sua existência, porém, revela a capacidade de resiliência – por 70 anos! Em 9 de setembro de 1948, Kim II-Sung proclamou o nascimento da República Popular Democrática da Coreia do Norte e se tornou seu líder. Isso marcou o começo de 70 anos de perseguição à igreja.

A Lista Mundial da Perseguição classifica os 50 países onde é mais difícil ser cristão. A Coreia do Norte lidera o ranking desde 2002 e nela os cristãos enfrentam os níveis mais elevados de pressão por causa da fé. O país tem um regime comunista sob o comando de Kim Jong-un, o terceiro da dinastia Kim. Quanto à religião, todos devem adorar a família Kim, por isso os cristãos vivem em secreto.

A estimativa é que haja 300 mil cristãos na Coreia do Norte, cerca de 1,2% dos mais de 25 milhões de habitantes. Se descoberto, o cristão é levado para campos de trabalho forçado ou até mesmo morto. Encontrar-se com outros cristãos é quase impossível.

Campos de trabalho na Coreia do Norte
A repressão na Coreia do Norte
A Fome na Coria do Norte
Fome, Fuga e prisão na Coreia do Norte

Contato

Rua Goias, 631
Parque Nacional
Juquiá - SP
11800-000

Intercessores

Atualmente somos 1.367 intercessores